Advertisement

Ressecção transuretral da próstata

Panorama geral

A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz que produz o fluido seminal. Essa glândula cerca a uretra, o tubo que conecta a bexiga urinária ao exterior do corpo Com a idade, a próstata frequentemente aumenta de tamanho e espreme a uretra, dificultando a micção. Esse distúrbio é chamado de hipertrofia prostática benigna ou aumento da próstata.

Se a próstata ficar grande demais, o médico poderá recomendar um procedimento conhecido como resseção transuretral de próstata (RTUP). Esse procedimento cirúrgico pode aliviar os sintomas incômodos e/ou dolorosos associadas com a próstata aumentada.

Advertisement
Advertisement

Candidatos

Candidatos

A próstata naturalmente aumenta conforme o homem envelhece. De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde (National Institutes of Health - NIH) dos EUA, o aumento da próstata ocorre normalmente em homens com mais de 40 anos de idade. Aos 80 anos de idade, mais de 90% dos homens tem a próstata aumentada (NIH, 2011).

Geralmente, a cirurgia não é primeira opção tratamento para os sintomas, mas pode ser recomendada se a medicação e outros tratamentos não aliviarem os sintomas. Alguns sintomas que podem indicar a necessidade de resseção transuretral de próstata podem incluir:

  • a bexiga nunca parece estar vazia;
  • infecções do trato urinário;
  • sangramento da próstata;
  • aumento na necessidade de urinar, especialmente à noite;
  • pedras na bexiga;
  • micção lenta;
  • lesão renal.

Se o paciente apresentar esses sintomas, o médico avaliará o estado geral de saúde, a história clínica e o tamanho e a forma da próstata para determinar se a resseção transuretral de próstata é um procedimento adequado para o paciente. Outros procedimentos podem ser menos invasivos e remover um tamanho menor da próstata De acordo com a Mayo Clinic, a resseção transuretral de próstata está associada a uma menor necessidade de tratamentos futuros (Mayo, 2011).

Advertisement

Procedimentos

Procedimentos

O procedimento de resseção transuretral de próstata não envolve remoção total da próstata e apenas uma porção é removida Será administrada anestesia geral para o paciente dormir e não sentir dor durante o procedimento. Outra opção é a anestesia raquidiana, na qual o paciente não sente dor nos membros inferiores

O cirurgião usará um tipo especial de instrumento longo e grande chamado ressectoscópio. O ressectoscópio será inserido pela ponta do pênis O instrumento permitirá que o cirurgião visualize a glândula prostática. O médico poderá inserir outros instrumentos cirúrgicos pelo ressectoscópio para remover porções da próstata. O tamanho da parte removida dependerá do tamanho e da forma da próstata.

Assim que o ressectoscópio for removido, um profissional médico inserirá um cateter dentro do pênis para promover o fluxo urinário após a cirurgia para remover coágulos sanguíneos que possam ter se formado. Geralmente, a duração do procedimento é de cerca de uma hora

Advertisement
Advertisement

Recuperação

Recuperação

O paciente ficará no hospital por um período de um a três dias após o procedimento. Durante esse tempo, líquidos serão administrados pela via endovenosa (EV) várias vezes para aumentar o fluxo urinário. É possível que haja um pouco de sangue ou coágulos na urina durante esse período.

De acordo com a Aurora Healthcare, uma doença rara conhecida como síndrome de resseção transuretral de próstata ou síndrome de resseção transuretral ocorre em quase 2% dos pacientes submetidos ao procedimento de resseção transuretral de próstata (Aurora, 2011). O paciente deverá informar ao médico se apresentar algumas das complicações associadas à síndrome de resseção transuretral, que geralmente ocorrem 24 horas depois da cirurgia. Como por exemplo:

  • mudanças de pressão arterial;
  • batimentos cardíacos anormais;
  • aumento da frequência respiratória;
  • náuseas e vômitos;
  • dificuldade para enxergar;
  • confusão mental;
  • agitação.

O procedimento de resseção transuretral de próstata normalmente requer um período de recuperação de três a seis semanas, nos quais o paciente deve evitar atividades físicas extenuantes. O paciente deverá informar ao médico se apresentar sintomas de infecção como febre, sangramento persistente, impotência com duração de mais de três meses ou dor que não pode ser controlada com medicamentos.

Advertisement

Efeitos colaterais

Efeitos colaterais

Como o procedimento é invasivo e requer anestesia, podem ocorrer efeitos colaterais. Além da síndrome de resseção transuretral de próstata, os efeitos colaterais podem incluir:

  • coágulos sanguíneos;
  • dificuldade para respirar;
  • risco desinfecção;
  • perda de sangue;
  • infarto ou AVC (derrame);
  • reação alérgica à anestesia.

Como a próstata e região circundante é composta por tecidos delicados, é possível que o paciente apresente algumas complicações como por exemplo:

  • dificuldade para controlar o fluxo urinário;
  • infertilidade;
  • dificuldade de manter ou ter uma ereção;
  • estenose uretral que limita o fluxo da urina;
  • ejaculação retrógrada (o fluxo de sêmen retorna para a bexiga);
  • danos aos órgãos internos

O paciente deve conversar com o médico sobre esses riscos para determinar se o procedimento de resseção transuretral de próstata é a melhor opção para ele.

Article resources
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement